Por Ana Karine Pereira* A eletricidade possui atualmente um papel de extrema importância na oferta total de energia no Brasil, correspondendo, em 2010, a 17.2% da oferta de energia no país (PDE 2019). A principal fonte de produção de eletricidade é proveniente de usinas hidrelétricas, que foi responsável, em 2005, por 83.4% da geração de eletricidade (Souza, 2008). O grande papel da eletricidade, particularmente da hidroeletricidade, na oferta de energia brasileira é explicado pelo planejamento governamental, que, nas últimas décadas, tem dado ênfase a essa fonte de energia. Apesar do governo ter implementado nas últimas décadas um programa de expansão do número de hidrelétricas, o Brasil utiliza menos de 30% do seu potencial, o que faz com que essa fonte de energia continue sendo prioridade para os planejamentos futuros de expansão da oferta energética nacional. O grande problema é que a maior parte do potencial não explorado se situa na Amazônia, o que tem transformado a região na nova fronteira energética do país.
Quarta, 01 Junho 2011 08:42

Defendendo os Rios da Amazônia (Part 1)

Escrito por
Quarta, 01 Junho 2011 08:41

Defendendo os Rios da Amazônia - Parte 2

Escrito por
No período entre 2013 e 2014, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) publicará seu Quinto Relatório de Avaliação. Em 2007, o IPCC compartilhou o Prêmio Nobel da Paz com Al Gore. Apesar de existir algumas controvérsias recentes sobre o IPCC, ele ainda é considerado como a mais respeitável e confiável instituição científica na área de mudanças climáticas. A lista a seguir, que é baseada em informações disponíveis no site do IPCC, fornece o perfil de todos os cientistas latino-americanos e caribenhos envolvidos no Quinto Relatório de Avaliação. A lista está dividida em três grupos de trabalho e inclui o nome, o país e a instituição de cada cientista da região. Na próxima semana, nós publicaremos outro aviso que analisará a lista a partir de um contexto mais amplo, além de explicar qual o significado dela para a pesquisa sobre mudanças climáticas na América Latina e no Caribe.
A América Latina representa um microcosmo nos desafios enfrentados pelas conversações internacionais sobre mudanças climatéricas. A diversidade dos seus países e das suas economias, as disparidades das suas emissões anuais e a sua vulnerabilidade, as suas posições ideológicas, a diversidade de políticas estrangeiras e associação a diversos fóruns regionais e internacionais fazem com que diferentes perspectivas sobre a mudança climatérica seja um lugar-comum.
Sexta, 08 Abril 2011 19:20

Marina Silva em Universidade de Brown

Escrito por
Marina Silva fala na Universidade de Brown sobre o desenvolvimento sustentável e mudança climática [vimeo]http://vimeo.com/22145866[/vimeo]
Segunda, 04 Abril 2011 05:54

Projeto Biomas - Brasil

Escrito por